Arquivo da categoria: Uncategorized

Meu Pedreiro Porcão

Pedreiro Porcão
Data: 28/12/2018 03:40:07
Assuntos: Homossexual, Gay, Sexo, trabalhadores, pedreiro, construção, Fetiches, suvaco, cc, sebo, pau sujo, chulé, mijo.

Essa é uma histórica verídica que aconteceu ontem, sábado, 29 de fevereiro de 2016. Tive uma experiência fodástica e muito gostosa com um Pedreiro bem porcão! Fazia um tempo que eu tentava investir nele, mas ele fazia jogo duro!
Ele é um morenão bem escuro, quase negro, mas tem traços e aparência de negro mesmo! Ele se chama Juvenal (fictício), tem 45 anos, 1,80, forte, não é muito musculoso, mas tem o corpo definido! Tem bigodão, barbona, peito peludo, suvacão peludão, pentelhada que é uma mata só! Ele é um caboclo de um interior aqui de Pernambuco, veio pra cidade em busca de oportunidade de trabalho, e encontrou na profissão de Pedreiro a solução para se manter e vez ou outra, enviar alguma ajuda para a família no interior! Ele mora num quartinho alugado numa rua próxima à minha! E recentemente ele assumiu uma obra perto da minha casa! Sempre que eu passava em frente àquela obra, eu o via trabalhando, lindo, sempre suado, às vezes sem camisa, só de calça e botas, às vezes com a farda completa! É uma farda azul daquelas típicas de pedreiros: calça azul, camisa azul de manga comprida, botas apropriadas e meias! Logicamente, sua roupa está sempre suja! Cara, eu viajava nesse macho toda vez que eu passava por lá! E eu ficava olhando pra ele e pra rola dele que fazia um volume considerado sob a calça! Logicamente, ele percebia o meu interesse e, com isso, ele passou a corresponder com olhares sacanas e ótimas apalpadas no seu pacote entre as pernas! Mas eu não tinha coragem de me aproximar! Ficamos umas duas semanas nesse jogo de olhares, e ele pegava no pau e eu só olhava e, no máximo lambia os beiços, deixando ele saber a minha vontade de ter aquele pacote na minha boca!
Bem, ontem eu fui beber umas num bar aqui no bairro. Lá pelas tantas, eu já havia bebido várias cervejas e já estava bem legal! Acho que era tipo meia-noite e meia quando vejo ele chegar! Ele tava usando a sua farda de trabalho toda suja e tava muito suado!
Ele me viu e foi direto se sentar na minha mesa! Fiquei surpreso com sua atirude, mas adorei!
Opa, beleza? Tu num si importa de eu mim senta cuntigo, né? – disse ele, com um sorriso sacana e já se sentando na cadeira ao meu lado, que ele afastou e se sentou de pernas abertas com seu pacote de rola bem na minha visão! Fiquei nervoso e só consegui falar, gaguejando:
– Blz! – eu disse olhando pro volume no meio das suas pernas!
Adorei ele tomar essa atitude!
Daí ele viu que minha cerveja tava acabando e gritou pro garçom:
– Aé, fera, tráis uma cerva bem gelada e um copo pra mim!
Ele foi puxando conversa, falou que tava curtindo que eu ficava babando no pau e no corpo dele toda vez que eu passava e disse que tava mais do que na hora de a gente se entender!
– Tá mim intendeno, franguinho? – disse ele apalpando a sua rola e com um sorriso de tarado!
– Sim, tô entendendo! Eh, qual teu nome? O meu é Marcelo!
– Eu mim chamo Juvenal! Teu cu no meu pau! Ahahhaha! – e soltou uma gargalhada gostosa!
Gelei!
Eu estava nervoso, mas não conseguia parar de olhar pra ele e pra rola dele!
Ficamos conversando e toda hora ele apalpava e alisava a rola que já tinha começado a inchar dentro da sua calça.
E aproximando sua boca do meu ouvido, coloca sua mão na minha bunda apalpando e diz:
– Tá na hora da gente saí daqui! Paga a conta e vem cumigo! Vô ti leva lá na obra e ti mostra o que um macho di verdade fais cum um viadinho safado qui nem você! Sei que tu tá doidinha pra sinti minha rola todinha no teu rabo! Vem! – disse ele se levantando!
Mais do que depressa eu chamei o garçon, paguei a conta e o acompanhei, muito nervoso e também muito excitado! Doido pra mamar sua rola e senti aquele macho gostoso me fudendo meu cuzinho na obra! Adoro obras, adoro pedreiros!
A obra ficava perto e no caminho ele falou:
– Olha discupa eu tá assim todo sujo. É que saí da obra e vim direto pro bar! Tava doido pra tomar uma gelada e nem liguei di toma banho!
– Por mim tudo bem! Eu não ligo! Aliás, prefiro você assim, com a sua farda, todo sujo e suado! Adoro servir a um macho pedreiro suado e sujo, principalmente se for na obra!
Bom assim, purque eu nem tava mermo quereno toma banho! TU vai mamá minha rola suja mermo, putinha! – disse ele apalpando minha bunda e metendo o dedo no meu cu!
Eele me confessou que já estava sem tomar banho nem trocar de roupa há 3 dias trabalhando e bebendo cachaça! Adorei saber disso! Meu nariz já captava o cheirão forte que exalava dos seus sovacos desde que ele se sentou na minha mesa no bar! Eram três dias sem tirar do corpo aquelas roupas de pedreiro, meias e sapatos, incluindo a cueca! Enfim, tava todo porcão! E eu delirava só de imaginar a situação do corpo daquele macho!
Chegamos na obra! Entramos, ele trancou o portão, fomos pra aquele barraco cheio de ferramentas e cimento e tals, tinha até umas fardas e sapatos, tudo sujo, que eram dos outros pedreiros! E também havia um colchão bem velho no chão, no fundo do barraco, coberto por um lençol imundo e fedido!
Eu levei umas cervejas pra a gente beber e uma cachacinha pra ele e cigarros também.
Bom, brincamos até de manhã!
Cara, ele tava suadão, fedidão, bem porcão, cc forte nos seus sovacos peludos e suados, a rola dele preta, grossona tava cheia de sebo!
Daí ele me agarrou por trás, me encochando e esfregando sua rola dura na minha bunda, lambeu minha orelha esquerda e disse:
– Qué dizê que a putinha é chegada num macho porco?
Cara, ele ficou loucão com isso! Lógico que eu confirmei! Falei:
– Amor, quanto mais porco, mais gostoso! Vem cá que eu vou te dar um banho de língua no corpo inteiro!
Ele ficou mais louco! Me virou de frente, me agarrou e me beijou, esfregando a barba e o bigode na minha cara e no meu pescoço e enfiando a língua na minha boca e cuspindo na minha boca! E disse:
– É assim que tu gosta, né putinha? Pois tu vai fazê uma faxina caprixada nesse teu macho porcão!
Daí ele tirou a camisa dele, puxou minha cabeça e enfiou minha cara no suvacão peludo suadão e fedidão dele! Minha gente, foi tudo muito gostoso! Eu limpei os suvacos dele, o xulé dos pés, das meias e dos sapatos dele, chupei todo o sebão do cacete dele, e ele cuspia na minha cara e até me deu uns tapas de leve na cara e outros não tão leves na bunda!
Daí, ele me botou de quatro.
– Vô aplicá um tratamento nesse cuzinho que ele tá precisano!
E chupou muito meu anel, enfiando os dedos! Depois se preparou pra metar a sua rolona! Confesso que fiquei com um pouco de medo, mas o tesão e a vontade de ter aquela jebona grossa e preta de 21 cm me dominavam!
E com esforço e uns minutos de empenho ele consegui enterrar toda aquela ferramenta dentro de mim! E me comeu gostoso! Mas, uma preocupação me veio nessa hora: confesso pra vocês que eu sempre procuro estar com o meu traseiro limpinho, pois não gosto de passar cheque jamais! Mas desta vez eu estava desprevenido! Até falei pra ele, pedi pra eu ir ao banheiro antes, mas ele falou que queria do jeito que tava! Só sei que sujei a rola do cara todinha de merda. E ele nem aí! Olha, eu não curto essa coisa de scat, mas era ele que tava se sujando e queria, então nem liguei! Cara, caguei geral na rola do pedreiro! É lógico que depois que ele acabou de me comer eu fiz ele tomar um banho bem caprichado, pois eu não curto mesmo essa coisa de bosta! Sei que tem gente que gosta, mas eu não consigo!
Bom, tirando esse detalhe, essa foi só a primeira metida dele em mim, a gente transou e bebeu até de manhã! Ele até me chupou uma vez e eu gozei na boca dele.
Chupei muito aquele macho inteiro e ele me fudeu muito em várias posições! E também ele me deu várias mijadas na boca e na cara e no meu corpo inteiro! Lógico que engoli o máximo que pude do mijo amarelo e quente do meu macho! Delícia!
Enfim, saí de lá às 5:30 da manhã, todo sujo de gala, mijo e suor do macho, sem falar no meu anel destruído, né? Vixi! Mas adorei!
Ele me mandou ir à obra toda sexta-feira às dez da noite, sempre usando calcinha fio-dental, pra ele me fazer sua putinha e me usar do jeito que ele quiser! E também me mandou levar bebidas e cigarros pra ele todas as vezes que ele me chamasse!
Quem gostou, deixe comentários! Se algum Macho Pedreiro Porcão de Recife ou adjacências desejar uma putinha pra se satisfazer e manda-la fazer uma faxina no seu corpo com minha boquinha gulosa, me mandem e-mail: carlos1975araujo@gmail.com. Não sou afeminado, sou super discreto, mas quando estou servindo um macho, viro uma putinha devassa, com calcinha ou sem, depende de vocês! Aguardo seus contatos!
Prometo postar novo conto real em breve!

Powered by WPeMatico